Como eu faço o cadastro no Bolsa Família?

Criado para amparar brasileiros em situação de vulnerabilidade, o Bolsa Família é um dos programas sociais de combate à pobreza mais populares atualmente.

Para muita gente, o auxílio é fundamental para complementar a renda, garantir acesso aos elementos básicos para uma vida digna e dar subsídios para melhorar a situação da família.

Você também acredita que esse benefício poderia ajudá-lo? Quer saber se tem direito ao Bolsa Família?

Se sua resposta é “sim”, esse artigo é para você! Vamos te mostrar como fazer o seu cadastro no Bolsa Família, quais são os requisitos do programa e como ele beneficia a população.

Ah, e se você não for aprovado para o Bolsa Família, também vamos sugerir algumas alternativas para aumentar sua renda e conseguir um dinheiro extra no fim deste texto. Boa leitura!

O que é o Bolsa Família

Criado em 2003 pela Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc), o Bolsa Família está previsto na Lei nº 10.836 e é regulamentado pelo Decreto nº 5.209.

O principal objetivo do Bolsa Família é combater a pobreza e a desigualdade social no país.

Para isso, é oferecido um valor mensal para cada família, como forma de aumentar a renda dos beneficiários e permitir que eles tenham acesso a elementos fundamentais para o seu desenvolvimento, como alimentação, saúde e educação.  

A lógica é que, através desse benefício, os brasileiros em situação de vulnerabilidade possam conseguir os subsídios necessários para superar a pobreza.

Quem pode fazer o cadastro no Bolsa Família?

Para que seu cadastro seja aprovado no Bolsa Família, é necessário que sua família faça parte de um dos dois grupos a seguir:

  • Famílias com renda por pessoa de até R$ 89,00 mensais;
  • Famílias com renda por pessoa entre R$ 89,01 e R$ 178,00 mensais que têm crianças ou adolescentes de até 17 anos.

Para fazer o cálculo de renda por pessoa basta dividir o valor total dos salários pelo número de membros da família.

Por exemplo, uma família que tem renda de R$ 1045,00 para manter seis pessoas, sendo que duas delas são crianças, tem direito ao Bolsa Família. Isso, porque ao dividir 1045 por 6, o valor por pessoa é de, aproximadamente, R$ 174,00 mensais.

Qual é o valor pago pelo Bolsa Família?

O valor mensal que cada família recebe através do Bolsa Família pode variar porque ele é a soma de diferentes benefícios previstos no programa. Assim, o valor total depende de elementos como número de pessoas na família, idade dos filhos e da renda familiar.  

A classificação de valores é a seguinte:

Benefício básico de R$ 89,00

Pago apenas para famílias que vivem em extrema pobreza (renda mensal de R$ 89,00 por pessoa).

Benefício variável de R$ 41,00

Vinculado a situações específicas. É possível agregar até cinco benefícios variáveis por família.

Tipo de benefício variávelCondições para o acessoExigências
Vinculado à criança ou adolescentePago para famílias com renda mensal de até R$ 178,00 por pessoa e que tenham membros até 15 anos.É exigida a frequência escolar para crianças e adolescentes entre 6 e 15 anos. 
Vinculado à gestantePago para famílias com renda mensal de até R$ 178,00 por pessoa e que tenham gestantes em sua composição.A gravidez deve ser identificada pela área da saúde.A gestante receberá 9 parcelas.
Vinculado à nutrizPago para famílias com renda mensal de até R$ 178,00 por pessoa e que tenham bebês de 0 a 6 meses.A criança precisa ter seus dados incluídos no Cadastro Único até os 6 meses de vida.São repassadas 6 parcelas mensais.

Benefício variável de R$ 48,00

Direcionado para famílias com renda de até R$ 178,00 por pessoa e que tenham adolescentes entre 16 e 17 anos. Podem ser agregados até dois benefícios deste tipo no valor do Bolsa Família.

É necessário comprovar a frequência escolar dos jovens para ter acesso a esse valor.

Benefício para superação da extrema pobreza

Esta modalidade é voltada para as famílias que continuam ganhando menos de R$ 89,00 por membro da família, mesmo depois de receber auxílio de outros benefícios do Bolsa Família.

Neste caso, o valor é calculado especificamente para cada família, de forma a garantir que se ultrapasse o mínimo de R$ 89,00 mensais por pessoa.

Como fazer o cadastro no Bolsa Família

Não existe uma inscrição específica para este programa. Na verdade, para se candidatar para receber o Bolsa Família é necessário estar no Cadastro Único (CadÚnico) – um registro dos cidadãos que precisam de amparo de programas sociais.

Apesar de o Bolsa Família ser um programa federal, sua inscrição no Cadastro Único pode ser feita no município onde você vive. Geralmente, é possível se cadastrar nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) das cidades.

Será necessário apresentar dados de todos os membros da família, bem como informações sobre renda, ocupação e local onde moram. Veja mais informações sobre como se inscrever no Cadastro Único.  

A partir da inscrição no CadÚnico, um sistema analisa as informações da família e verifica se elas estão aptas para participar do Bolsa Família, ou de outros programas.

As famílias selecionadas para o Bolsa Família recebem um informativo sobre o programa junto ao Cartão Bolsa Família. Através do cartão é possível sacar o benefício nas unidades da Caixa Econômica Federal, Lotéricas e comércios cadastrados pela Caixa.

Quando acontece o descadastramento do Bolsa Família?

Pessoas que tinham cadastro no Bolsa Família podem ser excluídas do programa caso:

  • Tenham superado a renda mínima por pessoa;
  • Não estejam cumprindo as exigências do benefício (como apresentar a frequência escolar dos filhos);
  • Estejam com dados desatualizados junto ao Cadastro Único.

Não tenho direito ao Bolsa Família. E agora?

Muitos brasileiros precisam aumentar a renda, mas não são aceitos pelo Bolsa Família porque não se encaixam nas condições do programa.

Se esse é o seu caso, a boa notícia é que existem outras alternativas:

Buscar outros programas

O Bolsa Família é só um dos vários programas sociais e benefícios previdenciários que a população pode buscar.

Vale a pena verificar se você tem direito a auxílios como o salário-família, a tarifa social de energia elétrica, o bolsa verde e ao ID jovem, por exemplo.

Adotar comportamentos mais econômicos

Todo mundo deve se preocupar com a economia de recursos, principalmente se você gostaria de ter um dinheiro sobrando no fim do mês.

No blog da Simplypag, temos dicas para economizar eletricidade, água, internet e poupar no mercado. Você também vai encontrar por aqui materiais sobre como guardar dinheiro, negociar suas dívidas e até ideias de renda extra.

Fazer um empréstimo

Por fim, quem precisa de dinheiro extra também pode considerar um empréstimo.

Existem linhas de crédito que contam com juros baixos e podem ser divididas em parcelas que cabem no seu bolso.

Esse é o caso do empréstimo para empregados domésticos registrados da Simplypag!Se você é um funcionário doméstico e precisa de dinheiro para colocar suas contas em dia e realizar seus planos, clique aqui para conhecer as vantagens dessa linha de crédito criada especialmente para você.

Deixe um comentário