O que é financiamento? Como funciona?

Você precisa de crédito e está pensando em fazer um financiamento, mas não sabe direito como ele funciona?

Então está no lugar certo!

Neste artigo explicamos tudo sobre financiamentos e ainda damos dicas para fazer um bom negócio!

O que é e como funciona o financiamento?

Primeiro, você deve saber que o financiamento é um crédito para a compra de um bem, produto ou serviço específico. Por isso, contratá-lo exige comprovar a aquisição. 

Então, o banco libera a quantia solicitada em troca de um pagamento com juros, que é parcelado de acordo com as condições contratadas. 

Além disso, nas prestações entram outras cobranças, como tarifas da instituição financeira e impostos. 

A soma de todas as despesas envolvidas na operação chama-se Custo Efetivo Total (CET), que é basicamente o “preço” do financiamento.

Portanto, financiar algo consiste em pegar crédito emprestado para a aquisição de um bem. Porém, você não deve confundir financiamento com empréstimo, que é uma solução de crédito diferente!

Financiamento x Empréstimo

Você viu que o crédito do financiamento é destinado à compra de algo, logo tem uma finalidade definida.

Por outro lado, o valor concedido no empréstimo pode ser utilizado como você bem entender.

Além disso, há diferenças na liberação do crédito

Enquanto no financiamento a quantia geralmente vai direto para o vendedor do bem, no empréstimo o dinheiro é entregue a você.Por último, o financiamento pode ser mais burocrático, já que é preciso comprovar como o crédito será gasto.

O que pode ser financiado?

A casa própria e o carro correspondem a aproximadamente 65% dos financiamentos do país, segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Mas eles não são os únicos itens financiáveis, muito pelo contrário!

Os bens e serviços que podem ser bancados com esse recurso são diversos. Por exemplo:

  • Imóveis em geral;
  • Terrenos;
  • Obras e reformas;
  • Veículos variados, como motos e caminhões;
  • Eletrodomésticos e eletrônicos;
  • Passagens aéreas;
  • Materiais de construção;
  • Equipamentos agrícolas.

Os itens financiáveis dependem da política da instituição financeira contratada, por isso variam de banco para banco. Então, pesquise antes de fechar negócio!

Quais tipos de financiamento existem?

Dependo do que for comprar, você vai encontrar modelos diferentes de financiamento. Os mais importantes dizem respeito a imóveis e veículos, que, como falamos, são os bens mais financiados.

No financiamento imobiliário, as modalidades mais utilizadas são o SFH e o SFI. 

Já no de veículos, destacam-se o CDC e o leasing.

Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

Esta modalidade de financiamento é uma iniciativa do Governo Federal para facilitar a compra, construção e reforma de propriedades residenciais.

Com ela, é possível financiar até 80% do valor do imóvel, que deve custar até R$ 1,5 milhão. Os recursos provêm de poupanças ou FGTS, o  Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Uma das iniciativas que fazem parte do SFH é o programa Minha Casa, Minha Vida, da Caixa Econômica Federal.

Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI)

Vale para imóveis que não se enquadram no teto do SFH, de R$ 1,5 milhão

Além disso, o SFI tem taxas mais altas, que são livremente definidas pelo mercado.

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

Financiar um carro através do CDC significa que o documento do veículo será emitido em seu nome, mas o automóvel vai ficar alienado ao banco como garantia de pagamento.

Portanto, o automóvel torna-se propriedade da financeira durante o financiamento, mas, enquanto isso, você pode usá-lo. 

Então, quando o pagamento for concluído, a titularidade do carro passará automaticamente para o comprador.

Leasing

Este financiamento funciona como um “aluguel”. 

Desse modo, a documentação do carro sai em nome do banco, e o comprador arrenda o veículo. Ou seja, faz uso provisório mediante um pagamento.

Contudo, como os documentos ficam em nome do banco, as taxas de juros costumam ser menores do que do CDC.

Além disso, no leasing não há cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Afinal, financiamento vale a pena?

A resposta é simples: depende.

Antes de fechar qualquer negócio é preciso pesquisar e comparar as condições oferecidas.

Além disso, considere sua situação e seu histórico financeiros. Quanto mais garantias e segurança de pagamento você oferecer, melhores serão as taxas negociadas.

E procure ainda:

  • Pagar a entrada, pois assim pode diminuir a dívida e os juros;
  • Contratar uma instituição financeira reconhecida e de confiança;
  • Informar-se sobre o CET, o “preço” do financiamento;
  • Ler o contrato com atenção e tirar todas as dúvidas.

Lembre-se que para fazer o financiamento valer a pena também é preciso pagar as parcelas em dia

Afinal, esse serviço já tem juros, e se você atrasar as prestações precisará pagar mais taxas.

Portanto, leve tudo isso em consideração para avaliar se o financiamento é a melhor alternativa para você.

Quais outras soluções de crédito posso contratar?

Se descartar o financiamento, saiba que há outras opções disponíveis no mercado, tais como:

Cartão de crédito

Caso queira comprar algo com valor baixo, o cartão de crédito pode ser uma boa alternativa, principalmente se já tiver um. 

E se não tiver cartão, saiba que solicitar um é mais fácil e rápido do que fazer um financiamento.

Consórcio

Como explicamos neste artigo, um consórcio é uma associação de pessoas que busca adquirir um mesmo bem, como uma casa.

Os participantes pagam parcelas mensais definidas pela administradora do consórcio. Então, o dinheiro forma uma “poupança comum”, usada para comprar o item desejado pelos consorciados. 

A ordem em que cada um adquire o bem é estabelecida por sorteio mensal ou por leilão.

Empréstimo

Você já sabe como funciona o empréstimo, mas provavelmente não sabe que pode encontrar muitas vantagens nessa solução de crédito!

Para fazer um bom negócio, dê preferência a modalidades de empréstimo com juros baixos, como:

Além disso, procure uma empresa que atenda ao seu perfil, ou seja, especializadas em determinado segmento de clientes.

Empréstimo para empregados domésticos

A grande vantagem de uma empresa especializada é que ela conhece bem seu público e cria condições especiais de contratação de crédito

Por exemplo, aqui na Simplypag somos especialistas em empréstimos para empregados domésticos. E como conhecemos o perfil desses trabalhadores, temos um plano de crédito feito especialmente para eles. Clique aqui e conheça!

Deixe um comentário