Vai negociar sua dívida? 5 dicas para fechar o melhor acordo

Quando o assunto é a boa administração das próprias contas, muitas vezes os empregados – em especial os autônomos – deixam a desejar. O desequilíbrio nas contas também pode surgir com possível queda nos rendimentos. Por isso, torna-se essencial gerir o caixa doméstico, o que inclui renegociar dívida e contas.
Para renegociar dívida de uma forma eficiente e vantajosa para ambas as partes, existem dicas simples – mas importantes – a serem seguidas. Então, com o objetivo de auxiliar na negociação, a Simplypag preparou este artigo. Saiba mais e tire suas dúvidas!

Qual o melhor momento para renegociar dívida?

A ocasião mais indicada para rever e negociar as dívidas é logo após o vencimento da parcela vencida. Mas caso isso não seja possível, tente renegociar assim que houver uma oportunidade de quitar as pendências. 

A oportunidade pode estar ligada à facilidade de parcelamento, à redução de juros e até à diminuição de impostos jurídicos. Portanto, fique atento (a) a esses fatores. Além disso, é fundamental também observar os melhores meses para pagar. 

Algumas empresas dão descontos a seus clientes em períodos próximos ao Natal, ao Dia das Mães e demais ocasiões nas quais é válido manter consumidores com acesso ao crédito.

Como iniciar o planejamento de renegociação de dívidas?

Faça um levantamento das dívidas

O primeiro passo essencial na renegociação de dívidas pendentes com seus credores é realizar um levantamento de todas elas. Portanto, coloque tudo em uma lista, organizando por credores e os valores pendentes respectivos.

Assim, você pode adicionar dívidas de todas as naturezas:

Feito isso, anote em um caderno o que recebe como pagamento e o quanto gasta em despesas mensais. Certamente, essas etapas vão ajudar a descobrir despesas que podem ser cortadas do seu orçamento. Esse “exercício” pode ser feito pela família mesmo que não exista uma crise econômica doméstica. 

Afinal, em toda residência sempre há despesas desnecessárias, ou seja, compras que não são essenciais e que podem ser deixadas para um outro momento. Portanto, elabore a lista e reveja despesas que podem ser evitadas sem maiores prejuízos para a família.

Defina um limite de pagamento das dívidas

Existem dívidas pendentes e você pretende quitá-las, certo? Então, se a ideia é organizar sua vida financeira, defina um valor de parcelas que realmente possa arcar. Assim, você evita de um assumir um compromisso sem a capacidade de honrá-lo, especialmente no longo prazo. 
Do mesmo modo, sabendo o quanto tem disponível para pagar uma dívida, poderá solicitar descontos no pagamento à vista. 

Dívidas mais caras devem ser priorizadas!

As dívidas com juros mais altos devem estar no topo da lista de pagamento. Afinal, é preciso levar em conta que talvez nem todas as dívidas possam ser saldadas em um primeiro momento. Portanto, priorizar dívidas é algo fundamental nesse caso. 

Busque mais informações com seus credores

Quando ligações surgem para cobrar dívidas e o bolso aperta, muitas pessoas se precipitam e aceitam o primeiro acordo sugerido pelo credor. Contudo, o ideal é pesquisar informações adicionais com seu credor, de modo que possa avaliar melhor suas condições de pagar o que deve. 

Para ter noção do que realmente deve e de como poderá efetuar o pagamento, pesquise fatores como: 

  • Qual a porcentagem de juros nas parcelas?
  • Quanto é o valor da multa do contrato?
  • Qual será o desconto percentual sobre o valor base da dívida (dívida original)?
  • Há desconto pagamento à vista? De quanto é o desconto?
  • Após o pagamento feito, quantos dias leva para o nome ficar limpo novamente?

Uma dica: ainda que todas as informações sejam passadas pelo telefone, solicite as informações por mensagem (SMS) ou por Whatsapp. Assim, terá melhores condições de avaliar a proposta do credor e terá um documento por escrito, que tem validade jurídica. 

Fazer um empréstimo único para quitar dívidas de várias naturezas

Neste artigo, já mencionamos alguns tipos de dívidas: cartão de crédito, cheque especial, financiamento, dentre outros. Para renegociar esses pagamentos pendentes, uma solução viável é efetuar um empréstimo capaz de saldar o seu pacote de despesas. 
A partir disso, você terá apenas um único credor com o qual se preocupar, podendo firmar acordos que sejam bons para os dois. 

Como funciona o empréstimo pessoal?

Ofertado por instituições financeiras, o empréstimo pessoal, ou crédito pessoal, é uma opção para quem precisa de dinheiro de forma acessível e rápida. Para obter o valor desejado, o solicitante passa por uma análise de crédito, que avalia seu perfil de compras e pagamento. 

Depois de aprovado o empréstimo, o valor é depositado na conta corrente e tem início o contrato, que estipula prazos, juros e condições de pagamento. 

Quem pode solicitar crédito pessoal?

A solicitação de um empréstimo é permitida para pessoas que residem no Brasil e estão na faixa de 18 e 65 anos. Além disso, é exigido ter CPF válido e conta corrente ou poupança para o depósito do valor emprestado. Todos estão sujeitos à análise de crédito, mas o ponto positivo é que não é necessário dar algum bem patrimonial como garantia. 

Caso o solicitante esteja apto a receber o empréstimo, o contrato é aprovado dentro de 24 horas. Mas vale destacar que nem todas as instituições financeiras oferecem essa modalidade de crédito para quem já está negativado. 
Do mesmo modo, trabalhadores autônomos (por exemplo, as diaristas) também podem enfrentar dificuldade para conseguir um empréstimo. 

Empregado doméstico, renegocie suas dívidas com auxílio do crédito pessoal sem burocracia!

Muitos empregados domésticos (incluindo babás, motoristas, faxineiras, caseiros) veem sua renda mensal escoar ralo abaixo por vários motivos. Com as contas vencendo, a necessidade de renegociar as dívidas aumenta e a saída são os empréstimos oferecidos por empresas como a Simplypag

A Simplypag oferece soluções para auxiliar o empregado doméstico a quitar suas dívidas, realizar um sonho ou sair do aperto! Ou seja, ainda que você não consiga obter seu empréstimo pessoal com outras instituições financeiras por falta de comprovação da renda, com a Simplypag o crédito pessoal não tem burocracia. 
Para saber mais sobre o empréstimo pessoal da Simplypag e as facilidades oferecidas, faça uma simulação de empréstimo em nosso site!  

Deixe um comentário